domingo, junho 28, 2009

Morte de Michel Jackson sobrevida de Sarney

Os últimos dias foram ótimos, para os que, no Brasil pretendem esconder as verdadeiras noticias, aquilo que realmente importa aos cidadãos, aqueles que pretendem manter acesa, as suas preocupações cívicas. Eis que enquanto o senado não conseguia dormir por conta da possibilidade de aparecer mais uma denúncia, eis que nos Estados Unidos da América do Norte morreu uma ex-pantera e, para melhorar ainda mais, morreu Michel Jackson, o super astro, aquele que, enquanto jovem, foi a perfeita metáfora de sua geração. Jamais envelhecer, jamais aceitar o que a realidade nos oferece, jamais se conformar com o mundo real, sempre procurar um mundo mais perfeito que esta imperfeição que nos rodeia. Não para que todos sejam felizes, mas para que apenas alguns consigam ser felizes e façam com quem outros pensem que um dia serão felizes como eles. Talvez por isso ele talvez tenha morrido infeliz e ninguém saiba o que fazer com os seus filhos e com as dívidas que ele deixou. Mas, como sabemos, Michel Jackson é a metáfora de seu tempo: um tempo indefinido, sem certezas, um tempo fugaz, com luzes sempre em mudanças de velocidades e cores; um mundo de movimentos coletivos, mas apenas para seguir os movimentos indicados por um grande coreógrafo. Michel foi o grande coreógrafo do último lustro do século XX, que permanecerá no século XXI, mais por sua morte que pelas novas criações na novel centúria. Ele não teve tempo pra novas criações, embora milhares de pessoas compraram ingressos para suas futuras na expectativa de ver sua criatividade ativa nos próximos meses. Entretanto ocorreu uma parada cardíaca. Bem, não ocorreu a parada de informações sobre atos mal feitos no sendo federal do Brasil.

O senador José Ribamar Sir Ney admitiu que entre os funcionários que estão lotados em seu gabinete há alguns fantasmas, inclusive que podem ser encontrados a serviço do seu aliado o senador Renan Calheiros, que não foi cassado por conta do apoio que Sarney e Lula prestaram a essa tão perfeita figura de servidor brasileiro. Tanto Sarney quanto Lula sempre entenderam que não se pode governar o Brasil sem Renan Calheiros. Agora, José Dirceu, o ex-ministro que continua dando as ordens no partido do qual Lula é Presidente de Honra, entende que não se pode governar o Brasil sem Sir Ney. Descobriu-se, também que em uma sala secreta, havia um sofá vermelho, um projetor, uma tela e filmes pornográficos. Tudo ligado ao ex-diretor geral do senado, posto no posto por Sir Ney, neste momento em licença prêmio remunerada. Mas Sarney – Sir Ney – é um homem acima de qualquer suspeita e não pode, segundo o presidente Lula, jamais ser visto como um ”homem comum”. Está certo Lula, o Bem Amado e bem avaliado presidente desta república que ainda pensa que o que põe no ministério da educação e nas secretárias de educação é gasto. Investimento é aluguel de filmes pornográficos a serem vistos no senado nacional. Por isso é tão difícil afastar esses funcionários de seus cargos e de suas diretorias desnecessárias. Ao mesmo tempo podemos assistir encontros dos presidentes dos três poderes, que deviam ser independentes, jurarem que agiram conjuntamente para que tudo seja resolvido. E com certeza tudo será resolvido, desde que nada seja mudado, pois eles sabem que ninguém reclamará e, caso haja reclamação, será ação de uma oposição que sempre deseja o pior. Assim diziam os políticos do PSDB quando estavam no governo, assim diz hoje o antigo líder da oposição, hoje no governo.

Que bom que morreu Michel Jackson, o seu funeral dará tempo para que se encontre uma saída para Sarney e, também para a liderança de Lula que, se antes dizia que Sarney não poderia ser julgado como “um homem comum”, hoje já diz esperar que Sarney faça as investigações necessárias sobre os erros que o senado vem cometendo sob a sua liderança. Lula quer que Sarney Investigue com justiça e isenção os atos ilícitos que foram praticados em favor de sua filha, seu neto, sua nora, e seus amigos.
Todos nós sabemos que isso irá acontecer, pois Lula jamais mentiu, jamais enganou. Pode ser que alguns se enganaram a respeito dele. Ele sempre demonstrou o seu imenso desejo de fazer o melhor pelo Brasil. E isso ele tem feito. Talvez lamentemos que para isso ele tenha cedido muito, o suficiente para Frei Beto não mais ser seu conselheiro.

5 comentários:

Zélia Gominho disse...

Gostei do tx prof; principalmente quando descreve o mundo Michael PETER PAN Jackson. O menino não quiz crescer; e esses Velhos do nosso governo continuam a brincar com o nosso país.

Felipe Liberal disse...

Parabéns pelo texto e pela pessoa que és.

Um abraço,
Felipe Liberal

comme des habitudes disse...

Professor ótimo texto! a terra do nunca recebeu seu príncipe perdido! Aliás obrigado pela aula de sábado. Fui a melhor aula sobre cultura q tive! abraços!

leandro cardoso.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Biu Vicente disse...

Escrevo para dizer o que penso, assim não pretendo que haja concordância ou unanimidade. Quizesse eu esconder-me não escreveria. Sempre limpo, sempre exposto. Não há porque esconder.