quarta-feira, setembro 16, 2009

Dom Saburido e Dom Pedrito

Esta semana, mais de uma vez fui perguntado sobre o novo arcebispo da arquidiocese de Olinda e Recife. Parece que as pessoas estão, mais querendo verificar se os seus sonhos serão realizados do que mesmo entender a risonha e meiga esfinge que o Vaticano enviou à conturbada arquidiocese que, após anos de vanguarda, teve o mesmo período de parede defensiva às infiltrações secularizantes na Barca de Pedro, temendo que esta se transformasse na Barca dos Tolos.
Quando penso em Dom Saburido, duas lembranças me chegam. Uma, bem inocente, quando ambos estudávamos no Seminário Imaculada Conceição da Várzea sob o reitorado dos padres Zeferino Rocha e Edwaldo Gomes. Aqueles tempos de formação foram os primeiros contatos nossos com as inovações, que então se iniciavam, do Concílio Vaticano II. Mas essa é uma lembrança para lembrar a primeira parte da formação sacerdotal de Fernando Saburido que, como eu se afastou do Seminário e, diferentemente de mim, mais tarde após um período no meio do século veio a tornar-se beneditino. A outra lembrança é Diego Maradona. Este jogador argentino, em torno de quem veio a se formar uma religião, esteve sempre na labuta de superar Di Steano, Puskas e Pelé, especialmente este último. Esses fantasmas tornaram a vida de Maradona mais difícil que a de Hércules, condenado a fazer doze trabalhos, mas Hércules tinha apenas ele próprio na competição. Maradona tem sido obrigado a enfrentar e superar três gênios, e isso por exigência de seus adoradores, seus fiéis que o acompanham religiosamente. Fernando Saburido, agora Arcebispo de uma buliçosa igreja local, não deve seguir a tentação de enfrentar dois grandes fantasmas: o mais próximo, de aparente e fácil superação, o seu antecessor imediato, Dom José Cardoso. Para boa parte dos católicos, especialmente daqueles que têm fácil acesso aos meios de comunicação, a tarefa se realizará por si própria, uma vez que já se escuta, até em entrevista de rádio, expressões que seriam ditas apenas dos mortos que foram indesejáveis enquanto vivos: “de lamentável memória”. Escolhido bispo por Dom José Cardoso, por mais que se deseje negar, Saburido deve ter algo que se assemelhe ao Emérito arcebispo de formação carmelita. Mas com apoio da Igreja local, Dom Saburido superará essa primeira tarefa. Mais árdua será a segunda: tornar-se um retrato de Dom Hélder Câmara, como desejam alguns católicos, com olho no Paraíso Terrestre, que não se sabe se é “saudade ou utopia”, no dizer do carmelita Frei Carlos Mesters. Sim, é isso que imagino querem antigos seminaristas, desejos de viver, fora da hierarquia eclesiástica, a igreja que não puderam construir, pois dela saíram por saber que padres, cônegos, monsenhores, bispos, arcebispos e cardeais, todos devem obediência ao Papa. Os católicos da arquidiocese de Olinda e Recife, não podem esquecer que Dom Saburido az parte de uma ordem sagrada à qual deve obedecer e manter. Para tal, ele não deverá ser como Dom Hélder Câmara, como não será um Dom Cardoso II, e não o será porque as condições históricas não permitem esse tipo de jogo. Da mesma maneira que Maradona jamais superará Pelé, jamais será Pelé, não se tente fazer de Dom Fernando Saburido um segundo Hélder Câmara, mesmo porque o Dom cultivou durante largo tempo de sua vida ao seguimento de Cristo modelado por Francisco de Assis, enquanto a principal formação de Fernando Saburido é o seguimento de Cristo segundo o modelo de Bento de Núrsia.

E para terminar esse texto, Maradona entrou nessa reflexão não por conta da religião que surgiu em torno dele, um movimento quase patriótico no tempo da guerra contra a Inglaterra, mas porque Dom Saburido deixou-se fotografar com a bandeira do Sport Club do Recife. Já tivemos um arcebispo que teve sua imagem muito ligada a certo produto comercial. Que seja apenas um detalhe sem maior importância nesse início de caminhada eclesial. A atuação de fies não pode ser a de uma torcida, mas de militância missionária.

Um comentário:

Mariana Borges disse...

Se fosse do Santa Cruz, vc não tava reclamando...