terça-feira, outubro 02, 2007

Carta a Luciano sobre um carta de Luciano

Soube que está rolando nos espaços da rede internacional de informações uma carta indignada contra a violência. ela está, segundo soube, assinada pelo empresário e apresentador de programa de televisão Luciano Huck. A carta foi resultante de um assalto que ele sofreu nos tortuosos caminhos da paulicéia. Logo Huck, um bom rapaz que ajuda os mais pobres, que apoia movimentos de comunidades! horrível que essas coisas aconteçam, que não se reconheça o esforço que pessoas boas fazem para tornar o mundo menos ruim. Concordo com esse nosso direito de nos indignar diante tanta violência e sofrimento que são causados pela alta concentração de renda em um setor da sociedade, enquanto outros setores ficam tão pobres que já não conseguem reconhecer seus amigos. É duro admitir que sociedades tão urbanizadas tenham que viver no sobressalto do próximo assalto. ah! seria tão bom que os que não puderam acumular riquezas não ficassem tão irritados.

Na verdade, estão irritados os que perceberam que não poderão jamais acumular riquezas, uma vez que os salários são aviltantes, que não há empregos para os jovens, que não se pode pagar escolas, que não se ganha o suficiente para garantir a alimetação da família, para se pagar o aluguel e tantas outras coisas. Parte dos pobres, uma grande parte, continua tentando viver mantendo os valores sociais que herdaram, valores como trabalho, sinceridade, solidariedade, honestidade, amizade, gratidão, e tantos outros. Contudo, tem aquela parte, uma minoria, que aprendeu o que os mais ricos, os acumuladores de riqueza ensinam a cada dia: a ambição, a inveja, a gula, a mentira, a delação, a falsidade, a desonestidade das palavras e das ações, a busca da vantagem própria e individual a todo custo, a hipocrisia da indignação contra a violência só quando ela lhe afeta diretamente. É isso que faz mulheres que não estavam se preparando para ser mães a jogar seus filhos no mato ou em algum rio. Elas não queriam o filho, queriam apenas o gozo do prazer, pois lhe disseram que a vida é para gozar.

Gostaria de ler uma carta de Luciano Huck lamentando o assassinato de um professor porque ele havia denunciado que jovens de sua escola estavam assistindo aulas armados, pondo em risco a segurança de muitos. As investigações corriam em segredo, mas alguém soube e o professor foi morto com dez tiros. Mais de 40% dos professores que lecionam em São Paulo já foram agredidos, e não há nenhuma reação indignada da sociedade que está saturada de gordura e que vive nas academias para manter a forma e poder ir ao próximo baile de gala. E tome gala! Não vi sindicatos de professores chamando a sociedade para abraçar escolas, proteger professores. Os sindicalistas, parece, estão mais interessados em "negociações" que tragam resultados práticos, às vezes mais para os sindicatos que para os sindicalizados.
No Recife um professor foi agredido por vários alunos e a secretária de educação (?) disse que não aconteceu nada. Enquanto isso as pessoas ficam indignadas porque os pobres não percebem que elas são boas e ajudam os pobres. Ótimo que individualmente todos somos bons, mas como é triste perceber que, sendo que todos somos bons, estejamos construindo uma sociedade má.

Caro Luciano Huck, precisamos melhorar um pouco mais nosso desejo e prática da bondade, precisamos melhorar o nosso entendimento de justiça. Sociedades que cultivam a acumulação de bens como objetivo maior, são ninho e berçário de violência. Esmolas de fim de semana, ou fila de bancos e loterias no fim do mês, sem mudança de estruturas e comportamentos estruturais é desejar curar câncer utilizando curativos de farmácia. Por outro lado não podemos desistir só porque algo triste nos aconteceu. Não desista de continuar seus trabalhos, mas saiba que curativos superficiais nem mesmo atenuam de verdade as dores do conceroso. Nossa sociedade está muito doente, o seu carro blindado é um sintoma dessa doença.

Um comentário:

Paulo Henrique Azevedo disse...

Professor, o nome do apresentador é Luciano "Huck" - a grafia correta não é de todo importante, deixo aqui a correção apenas pra nomear fielmente os bois.

Gostaria de ler um texto do senhor sobre o filme "Tropa de Elite", o novo "bum" do cinema. Elevado ao patamar de febre nacional, antes mesmo da estréia, graças ao submundo. Aos meios de sobrevivência dos piratas! (sempre eles)

Possui uma íntima relação com o seu mais recente texto do blog.