quinta-feira, janeiro 25, 2007

Gato escaldado

O debate do momento é o PAC - Plano de Aceleração do Crescimento - que o atual governo está discutindo após de tentar impô-lo à sociedade. É evidente que muitos setores estão receosos com o que vem embutido nesse plano. Como dizem, que sofreu um banho de água muito quente fica temoroso com qualquer tipo de água.
Poucos se lembram, mas parte da dívida do INSS - 42 bilhões - está ligada a um empréstimo que o governo Médici fez para construir a ponte que liga o Rio de Janeiro a Niteroi. Depois o governo devolveria o dinheiro. O empréstimo jamais foi pago e os trabalhadores que ja foram aposentados são acusado pelo déficitda Previdência. Por isso a gente fica preocupado com o governo atual dizendo que vai tomar emprestado 10% do FGTS para fazer o cresccimento acelerar e que, depois, podem esperar, será devolvido.
Quando Collor foi eleito, uma das razões foi ter elle acusado Lula de estar pensando em congelar a poupança do povo. O povo votou contra Lula - o medo faz coisas - e Collor de Mello congelou a poupança de todos. Na mais recente campanha presidencial, Lula acusava Alkimim de estar pensando em privatizar o Banco do Brasil, a Petrobrás, a Caixa econômica Federal, etc. O medo de perder esses patrimônios, como já se perdera a Vale do Rio Doce, dada de presente por FHC aos ricos sehores que o apoivam, fez quase setenta em cem eleitores brasileiros votarem em Lula. Agora o PAC propõe que se venda a particulares ações do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal e da Petrobrás para financiar a aceleração do crescimento. Vão vender até cerca de 45% dessas instituições. Serão "quase" privadas e "quase" estatais.
Para acelerar o crescimento do Brasil não está sendo utilizada uma das maiores cargas tributárias do mundo- pagamos muito imposto e recebemos pouco serviço; assim como não estão sendo usada para consertar as estradas os tributos específicos que pagamos para isso. Pensa-se em tomar dinheiro emprestado dos trabalhadores para emprestar aos ricos. E nem se pensa em taxar as grandes fortunas.
Nós é que somos afortunados por termos um ex-torneiro mecânico cuidando, com Garantia tão boa do FUNDO dos trabalhadores pelo seu Tempo de Serviço.
É PAC, É PEDRA, É O FIM DO CAMINHO.....

Um comentário:

Wanessa Kariny. disse...

Creio que para nós(do grupo) também foi muito interessante o reencontro com a comunidade... aumentou a nossa esperança naquele lugar e nos amigos que temos lá... esperança essa, que estava sendo apagada pelas dificuldades encontradas no caminho, afim de retomarmos o nosso projeto.
Mas vimos, que o nosso trabalho durante quase 7 meses renderam frutos, e entre eles o mais importante a sincera relação de amizade que nasceu com a nossa busca de tentar ajuda-los. O fato de se sentirem importantes, queridos e não apenas por serem Mestres de maracatu, de Côco, de Cavalo-marinho... não, por serem pessoas, serem nossos amigos, pela nossa confiança neles.
Isso faz com que nós, no nosso papel de futuros Professores, o nosso papel social... e muito além disso o nosso papel de amigo, sentimos a obrigação de continuar a nossa luta, juntamente com eles e você Biu Vicente, para a melhora que não seja do mundo todo, pelo menos de uma parte! Chã de camará!
Estamos contando com você querido Biu ao nosso lado nesse projeto, se sentindo mais jovem, animado... e como você disse: que se entenda e se desenvolva na amizade e no desejo de ajudar!

Adorei a mensagem!!!
Ah! e adorei te rever também...

Mil xeros!!! e terça nos vemos!!!
Estou muito feliz de estar com você novamente.

Abraços,
Wanessa Kariny.