segunda-feira, outubro 02, 2006

As eleições de outubro 2006

Ocorreu ontem mais um encontro com as urnas. é um exercício que se repete a cada dois anos e que nos mostra alguns aspectos ds pensares do povo. Surpreende-me como o povo sempre diz o que pensa e os "sabidos" não entendem. É uma alegria saber que Severino Cavalcanti, o ex-presidente da Câmara Federal e do "baixo Clero" não foi eleito pelos pernambucanos; veja como o Antonio Carlos Magalhães continua o seu processo de decad~encia e queda: os baianos começam a acordar; mas como é triste ver como os eleitores de São Paulo colocarem de volta Paulo Maluf e eleger todos os petistas mensaleiros. "os sabidos" ainda vão dizer que os nordestinos não sabem votar. É verdade que muitos vão dizer que não se deve ser tão rigoroso com os "petistas" que se utilizaram da máquina pública para o seu projeto de governo; vão lembrar que sempre se roubou no país - esse discurso deve ter sido repetido muitas vezes aos eleitores de São Paulo - mas esse discurso deve ser superado, e o povo sabe disso e vai continuar dizendo que queremos mais seriedade.
As urnas desse domingo nos lçevam a pensar nas urnas do próximo dia 29. Teremos que completar a decisão. Vai ser difícil porque não há grande diferença entre os candidatos,e as plataformas de governos ainda não foram bem esclarecidas, mas terão que ser nesses próximos dias.
Foi uma vitória afirmar que não há "mitos" em campanha, pois dizem que mitos não são derrotados. Essa expressão foi dita em relação ao candidato Lula; o povo disse que ele era apenas um candidato. O povo está se libertando dos mitos, os cabrestos - progressistas ou consrvadores - estão sendo quebrados.

2 comentários:

Anticoca disse...

Collor, Maluf, Serra...
e depois ainda dizem que Nordestino é um povo burro sem instrução...
acho que os paulistas precisam aprender uma lição...
Mas entre Lula e Alckmin, o que vai dar?
Se continuarmos com o mesmo presidente temos 50% de chance de algo dar certo (mesmo não concordando com ele), mas se pelo contrário Alckmim for a forra, o Nordeste, que diferentemente dos paulistas votou certo, vai para aquele lugar... aquele mesmo que vc está pensando...
"FOI SÃO PAULO QUE DECIDIU A ELEIÇÃO!"
E não é que foi mesmo?

Anticoca disse...

O Painél sobre a Reforma Protestante na Alemanha já está publicado em meu Blog:
Http://innmouraposmoderna.blogspot.com