sexta-feira, outubro 10, 2008

As bolsas e os santos

Os últimos dias foram carregados de notícias preocupantes para os que puseram seus ganhos nas bolsas de valores, mas, ao mesmo os especuladores de plantão continuaram a ganhar daqueles que perderam. Quase todos ficaram em polvorosa em decorrência do nervosismo apresentado na face de George W Bush que veio a público pedir uma ajuda para o sistema bancário americano. Nem todos ficaram nervosos, alguns, como o presidente do Brasil, resolveram fazer troça do Bush angustiado, enquanto o amigo de Luiz Inácio da Silva que governa o Equador se preparava para expulsar duas empresas brasileiras, entre elas uma com muito capital do povo brasileiro. Pode ser que a Petrobrás venha a perder, como já perdeu para a Bolívia, mais alguns canos. Coisa sem importância!

Pois é, foi mais ou menos isso que o papa Bento XVI disse ao presidir a abertura do Sínodo dos Bispos, ao nos lembrar que o dinheiro não é tão importante assim, que existem valores que estão sendo postos no lixo por aqueles que, para guardar dinheiro, especulam sobre a fome dos homens e das mulheres. Valores como a honestidade nos relacionamentos entre os seres humanos, honestidade de intenções nas relações entre os políticos e os cidadãos, honestidade entre os dirigentes das nações, etc. Valores como tratamento justo e digno às pessoas, e não apenas aos criminosos ricos, como ocorreu ao nosso STF. Talvez o presidente do nosso STF esteja pensando em sugerir à Suprema Corte dos Estados Unidos que sigam o seu exemplo, criando lá, o equivalente à Lei Banqueiro Daniel Dantas. Foi chocante assistir, pela televisão os policiais americanos algemando um ex-jogador de futebol americano e prendendo um brasileiro que sonegou imposto de renda naquele país.

Outro momento a ser comentado neste início do Sínodo Romano, é a palavra do papa encaminhando o processo de beatificação do seu antecessor Pio XII. Este papa teve um pontificado tão longo quanto o de João Paulo II. Aliás, contrariando todas as regras, Bento XV já deu início ao processo de beatificação de João Paulo II. Esses papas, os três, Pio XII, João Paulo II e Bento XVI possuem muitos atributos comuns e experiências de vida em torno dos acontecimentos conhecido como a Segunda Guerra Mundial, especialmente relacionado com o nazismo. Pio XII tem suas virtudes contestadas, por alguns, por não ter condenado energicamente o nazismo e o massacre dos judeus (essas pessoas esquecem os ciganos, os homossexuais, os comunistas, os doentes mentais, etc.). João Paulo II assistiu, em seus tempo de menino, seus colegas judeus serem levados ao campo de concentração e trabalhos forçados próximo à sua cidade. Bento XVI, como todos os seus colegas de idade, foi membro da juventude hitlerista. Neste período de crise financeira, pode ser que os amigos judeus do catolicismo retirem parte de seu apoio ao Vaticano se o papa continuar com essa idéia de fazer o Pastor Angélico, mais um participante da glória dos altares. Porém, como diz o mesmo Bento XVI, ele segue um Rei cujo reino não é desse mundo. Apesar disso, foi muito interessante uma cena, mostrada na mídia televisiva, de um grupo de trabalhadores de uma bolsa de valores em postura de oração. A religiosidade no templo de baal.

Mas se olharmos a religiosidade popular católica, encontraremos novidades interessantes nesta semana, como a presença do Núncio Apostólico celebrando missa em Juazeiro do Norte e fazendo homilia sobre os diversos graus de santidade. Quando ele mencionou o Padim Cíço, a Igreja foi tomada de júbilo. Agora o templo onde o padre Cícero Romão Batista celebrou é uma Basílica Menor, um templo especial para os muitos católicos romanos do mundo inteiro. Como se vê, abaixo da linha do Equador começam a ser vistas as santidades, não apenas as dos índios, que eram apontadas como heresia; mas uma santidade que foi apontada por quase herética no início do século XX, agora começa a ser vista como halo de santidade. Turistas - peregrinos para lugares de lazer e prazeres materiais -, já podem peregrinar em Juazeiro do Norte, detentora de uma basílica consagrada à Maria. Pode ser que a presença do Núncio Apostólico resulte em uma clara permissão ao povo para cultuar o seu santo.
Se isso vier a acontecer, ficará apenas para os historiadores as artimanhas de Dom Francisco Arcoverde contra o Patriarca do Joazeiro.

Um comentário:

Ernani Campelo disse...

O capitalismo é uma coisa perversa, costuma consertar a si mesmo, basta olhar a crise de 1929, mas não vejo, hoje, um John Maynard Keynes para "orientar" conserto do capitalismo. Enquanto a religião, acho que o semblante do PaPa Bento XVI me dá mais medo do que a queda da bolsa, e quem ele pensa que é?, ele não era Nazista na juventude, diretor do Opus Dei por 40 anos, aquela coisa obscurantista, dentro de uma organização obscurantista que é a própria Igreja Católica.