segunda-feira, maio 18, 2009

Raio cai em tracunhaém e em jornalistas

Nesta manhã, no noticioso de uma emissora, que está a se tornar uma revista e quase uma matéria insossa sobre os acontecimentos, exceto um ou outro comentário, foi interessante ver o rosto dolorido de conhecido conhecedor de vinhos, após uma reportagem sobre a morte de quatro jovens em um campo de futebol na cidade de Tracunhaém. A morte dos adolescentes deveu-se a uma descarga elétrica, um raio. A reportagem mostrou fotografias de dois dos rapazes mortos. A dor apresentada pelo apresentador foi acompanhada com uma frase que, se a memória não falha, era assim: “a cidade onde ocorreu este lamentável incidente é tão pobre que dois dos rapazes não tinham fotografias a serem mostradas.”
Tracunhaém está presente a história de Pernambuco e do Brasil desde 1710 quando alguns senhores de engenhos, de Olinda, foram até os seus engenhos naquela região, que dista 50 quilômetros do Recife, para lá se organizarem em pequeno exército e atacar o Recife, recém elevado à condição de vila. Os donos de terras e de cana de açúcar não conseguiam permitir que Recife crescesse no século XVII, jamais permitiram que a riqueza produzida nas terras que lhes pertencem por terem sido doadas pelo rei português jamais chegasse àqueles que produzem a riqueza. Esse acontecimento fútil, mas capaz de provocar constrangimento a especialistas em degustação de vinhos, é uma mostra do que ocorre na Zona da Mata Norte de Pernambuco, uma região que produz riquezas e que mata seus trabalhadores de fome por conta das usinas e dos usineiros, a quem o atual presidente chamou de heróis, menos de um ano.
Tracunhaém é um pequeno retrato do que sofre o povo brasileiro, um povo que ganha tão pouco que não pode pagar uma foto 3x4 de seus filhos. O mais surpreendente, é que a equipe da famigerada emissora de televisão que esteve no local, sique utilizou equipamentos para fazer a notícia. É esse o tipo de jornalismo que se faz hoje. Pobre, como a mentalidade dos ricos que dominam este país.

6 comentários:

AF STURT disse...

Olá biu Vicente:

Aproveitando que vc é professor de história ,estou com uma dúvida e por isso atrevi em de pedir ajuda ,em relação ao texto O capital do historiador Marx,com foco no capitulo "assim chamada acumulação primitiva".
Segundo Marx, a acumulação primitiva do capital foi um processo fundamental para a constituição do modo de produção capitalista .Então o que seria essa acumulação primitiva para marx e como ela posibilitou o desevolvimento do capitalismo?
Se puder ficaria grato,e se posivel me responder ate terça ate por volta de meia noite eu agradeceria ,pois o trabalho que estou dessenvolvendo tem ate essa data para ser entregue.
abraços...

AF STURT disse...

vc pode responder aqui mesmo ,abaixo, ou mandar a resposta para o a email do corvo(o mesmo que te pergunto sobre Elias).

AF STURT disse...

O email do corvo (meu amigo) é f8tres@yahoo.com.br

CorVo disse...

Oi Prof Biu Vicente, td bem?
Sobre a sua postagem,realmente é impressionante que ainda exista tanta miséria num país tão rico quanto o nosso.Vim agradecer também pela resposta que me enviou, estava na direção certa!
Basicamente são tres fatores, Etiqueta, Prestigio e Interdependência. Pelo jeito a minha propaganda do seu blog ja surtiu efeito.
Abraço

AF STURT disse...

Prof Biu vicente,
Não se trata de pegadinha,é apenas um pedido de ajuda.Sobre seu conselho em ler mais marx ,estou lendo a uma semana ,mas a complexidade do autor é qualidade do texto talvez traz mais obstaculos do que os de costume.
Mas de todo jeito obrigado por me responder.Tanto eu como corvo ,que me indicou o seu blog, estamos fazendo faculdade de história.
Mas queria debater mais assuntos com vc em relação a outros temas da história,se quiser deixe seu email ,que entro em contato assim que possivel.
saudações...

marcos antônio disse...

tracunhaém é uma cidade tão pobre que é atualmente governada por forasteiros do clã dos lapas, grupo que aterrorizou toda a região entre carpina ,lagoa do carro, buenos aires, araçoiaba, chegando a querer ampliar seus domínios, porém a partir da indignação surgiu um homem que assumiu as dores do povo de carpina e o libertou desse grupo oligarca, que jamais foi contestado por nenhum historiador ou cientista político desse nosso estado Pernambuco. Esse homem negro filho de carreiro de engenho foi o escape da população de carpina. todos os municípios que eram comandados pelos lapas e por seus seguidores se libertaram exceto tracunhaém, pois sua população em grande maioria tem índices de desenvolvimento social dos mais baixos , sendo belo oriente distrito vizinho a araçoiaba que possui o pior idh do brasil segundo o ibge. esqueçam a arrogância do enólogo, pois ele não é historiador ou geografo.denunciem as condições precárias desse município, apontem soluções, não sejam como a maioria dos pastores evangélicos que vislumbram soluções apenas para seus seguidores.